Vera Paisagismo

sábado, 21 de abril de 2012

Plantas para interiores de casas, apartamentos, escritórios, etc… Muita gente tem vontade de cultivar plantas em casa ou escritório, mas fica em dúvida sobre qual planta escolher e qual o local mais apropriado para a mesma. É sempre bom lembrar que as plantas são seres vivos e, portanto requerem cuidados. Mas é maravilhoso poder tê-las em casa ou no local de trabalho. Mesmo numa pequena casa ou apartamento, ou no local de trabalho é possível o cultivo de plantas. O segredo para o sucesso é saber escolher as plantas que se adaptem às condições que o local oferece. As plantas terão de suportar um nível de luminosidade menor ao que recebem no ambiente natural, contar com menos umidade e ter espaço limitado para as raízes já que serão cultivadas em vasos e jardineiras. A classificação simplificada das espécies de acordo com o nível de luminosidade funciona assim: Se o vaso ou jardineira estiver próximo à janela poderá ser classificado com 1- pleno sol (se estiver na face norte), 2- meia-sombra (nas faces leste ou oeste) ou 3- sombreado (na face sul). As regas deverão ocorrer conforme a necessidade da espécie. Essa receita pode ser adquirida na compra da mesma. Solicite essa informação ao fornecedor. É bom lembrar-se da drenagem dos vasos e jardineiras, utilizando no fundo dos mesmos, argila expandida ou cacos de cerâmica, antes da colocação da terra, evitando assim o acúmulo de água nas raízes e o apodrecimento das mesmas. Um cuidado especial que se deve ter ao escolher plantas é quanto a sua toxidade especialmente se há crianças ou animais no ambiente. 1- Plantas de Sombra São aquelas que devem receber apenas luz difusa durante 4 a 6 horas por dia. Nada de sol direto. Existem muitos exemplos, aqui estão apenas alguns: Nome popular Nome científico Jibóia Palmeira-Ráfis Singônio Café-de-Salão Epipremnum pinnatum Rhapis excelsa Singonium agustatum Aglaonema ssp aglaonema_sp - café de salão aglaonema_sp - café de salão 2- Plantas de Meia-Sombra Não recebem sol direto em nenhuma parte do dia, mas precisam de pelo menos 4 horas diárias de luz indireta. Existem muitos exemplos, aqui estão apenas alguns: Nome popular Nome científico Maranta-variegada Maranta-pena-de-pavão Violeta africana Antúrio Lírio da Paz Cheflera Begônia Peixinho Gravatá, bromélia-vriésia, espada-de-fogo Guzmânia, gusmânia, bromélia Barléria, violeta-filipina Lumina, Clorofito Fire Flash, Clorofito Lumina Ctenanthe oppenheimiana Maranta leuconeura kerchoveana Saintpaulia ionantha Anthurium andreanum Spathiphyllum wallisi Schefflera arborícola Begonia ssp Nematanthus spp Vriesea sp Guzmania sp Barleria cristata Chlorophytum orchidastrum ctenanthe_oppenheimiana - maranta ctenanthe_oppenheimiana - maranta vriesea_sp - bromélia vriésia vriesea_sp - bromélia vriésia schefflera_arboricola - cheflera schefflera_arboricola - cheflera chlorophytum_orchidastrum - Lumina - foto de Gustaaf Winters chlorophytum_orchidastrum - Lumina - foto de Gustaaf Winters 3- Plantas de Pleno Sol São aquelas que necessitam de 4 horas diárias de sol direto. Existem muitos exemplos, aqui estão apenas alguns: Nome popular Nome científico Gerânio Azaléia Buxinho Ixora Onze-Horas Álisso, flor-de-mel, doce-álisso, açafates-de-prata Pelargonium ssp Rhododrendon spp Buxus sempervirens Ixora ssp Portulaca ssp Lobularia maritima lobularia_maritima - Alisso lobularia_maritima - Alisso Uma espécie interessante para interiores é a: dracaena_reflexa - Pleomele - Foto de Forest e Kim Starr dracaena_reflexa - Pleomele - Foto de Forest e Kim Starr Pleomele ou Dracena-malaia – Nome Científico: Dracaena reflexa A pleomele é uma planta arbustiva, de textura semi-lenhosa e amplamente utilizada no paisagismo e na decoração de interiores. Seu caule é ereto, ramificado e atinge uma altura média de 2 a 3 metros. As folhas são simples, coriáceas, ligeiramente onduladas, de cor verde-oliva escuro, dispostas em espiral ao longo do ramos. Ocorrem ainda outras variedades, com destaque para duas cultivares variegadas: a “Song of India”, com folhas de margens cor verde-limão, e a “Song of Jamaica”, de margens cor branco-creme. É uma planta tropical muito vistosa e de crescimento moderado. Envasadas, elas podem ser utilizadas em ambientes internos, onde são muito apreciadas na decoração por sua beleza e tolerância às condições de baixa luminosidade. Mas esta tolerância deve ser e sabe-se que as pleomeles não variegadas são um pouco mais resistentes que as formas variegadas. O crescimento deve ser monitorado, pois caso ela comece a perder as folhas e crescer muito rápido em altura é sinal de que está faltando luz. A pleomele é uma das plantas recomendadas para purificação do ar em interiores, de acordo com a Plants for Clean Air Council (PCAC), organização que resultou de um projeto de pesquisa originalmente conduzido pela NASA em conjunto com a Associação de Empreiteiros de Paisagismos dos Estados Unidos. A pleomele é considerada eficiente na remoção de compostos tóxicos do ar como formaldeído, benzeno, tolueno, xileno e tricloroetileno. Deve ser cultivada sob sol pleno, meia-sombra ou luz difusa, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. É tipicamente tropical, apreciando o calor e a umidade. Apesar de crescerem sob sol pleno em regiões subtropicais, elas preferem condições de luz filtrada ou meia-sombra, principalmente quando cultivadas em regiões mais quentes e ensolaradas. Ela deve ser fertilizada quinzenalmente durante a primavera e verão. É sensível ao frio intenso, a geadas e a salinidade de regiões litorâneas; e tolerante a curtos períodos de estiagem. Quando mudada bruscamente de ambiente, ela pode se ressentir, perdendo parte das folhas.

Nenhum comentário: